Nadar+Pedalar+Correr

Você sabe nadar, pedalar e/ou correr? Parece brincadeira de criança! Mas, você sabia que nem tudo o que parece fácil de fato é simples? Por trás de modalidades esportivas comuns, existe detalhes importantes que diferem o Praticante do Atleta. No final, você quem decide!!!

Parece brincadeira de criança. De fato, é! Nadar e correr são habilidades motoras fundamentais e aparecem praticamente por “instinto”. Existe adulto com trauma de água; mas, não bebês. Já experimentou segurar um bebê de 4 meses por baixo dos braços e afundar ele na água da piscina, por exemplo? Não se assuste. Ele vai adorar (procure no google e veja as reações)! Isto porque o bebê nasce com alguns reflexos primitivos que asseguram a sua sobrevivência. Se você for mãe, sabe bem do que eu estou falando e já ouviu isto do pediatra. O reflexo de movimentar braços e pernas dentro da água faz parte do desenvolvimento motor da criança, e perdura até aproximadamente os 6 meses de idade. A caminhada também aparece como reflexo logo nas primeiras semanas de vida do bebê, e, entre 10 e 14 meses de idade, aproximadamente, os bebês aprendem a caminhar sozinhos. Mesmo que você não se esforce muito para estimular o bebê, ele vai aprender a caminhar sozinho! Depois que a criança aprende a caminhar, fica fácil correr. Até mesmo porque a cabeça do bebê é relativamente grande e faz com que ele perca o equilíbrio constantemente. Após ficar de pé, e algumas balançadas da cabeça ao redor do pescoço, quando a cabeça “pende” para frente, a criança perde o equilíbrio e acaba dando os primeiros passos mais rápidos da sua vida, até então. Daí em diante é só alegria e a correria literalmente começa. Este é o caminho típico do desenvolvimento motor de uma criança. Pedalar parece algo um pouco mais complexo, que envolve uma coordenação motora maior para se manter em equilíbrio sobre duas rodas. Mas, o que existe em comum entre as habilidades de Nadar, Pedalar e Correr? Pense um pouco... São habilidade motoras cíclicas, ou seja, ciclos de movimentos que se repetem em um determinado tempo. Embora pedalar não seja uma habilidade motora fundamental (ex.: caminhar, saltar, arremessar, etc.), em outras palavras, aquelas habilidades que servem de base para outras habilidades mais especializadas (ex.: cortada no voleibol, bandeja no basquete, rebatida no tênis, etc.), é uma atividade relativamente comum para as crianças. Neste sentido, nadar+pedalar+correr parece algo fácil e simples... Não deixa de ser verdade.

 

Entretanto, se você sair do lúdico e encarar as atividades de nadar+pedalar+correr de uma maneira mais ativa, a história é outra. Habilidade motora são aquelas atividades motoras que requerem um padrão motor. Padrão motor pode ser entendido como Técnica. E, se requer técnica, requer conhecimento e alguém para te ajudar. Fique tranquilo, profissionais da Educação Física são os experts neste ponto. Correr até criança corre. Habilidade Motora chamada Corrida, eu diria que 95% das pessoas não tem. Isto inclui, inclusive, alguns atletas de rendimento, em um percentual menor é claro. Na Natação não é diferente. Você até se vira bem na água, mas dizer que você domina a técnica, duvido um pouco. E na Bike? Só sentar no selim e sair girando a perna, certo? Bom, segue a mesma lógica.

 

Então quer dizer que a maioria dos praticantes de Natação, Ciclismo e Corrida não tem uma boa técnica? Exatamente! Para não dizer que a maioria de fato não tem técnica. Isto porque embora a atividade seja comum no nosso dia a dia, nós devemos aprender a técnica adequada, ou em outras palavras, a Biomecânica da modalidade esportiva em questão. Se ninguém ensinou você a nadar, pedalar ou correr, pode ter CERTEZA que você não tem uma técnica adequada e tem o que aprimorar. Aposto contigo (sem presunção)! E quando digo ensinar, é de fato ensinar a técnica. Isto não tem a ver diretamente com o tempo/ritmo/pace que você tem. Alguns atletas conseguem alcançar bons tempos mesmo com técnicas inadequadas. Imagina se melhorar, ?! Acredite se quiser, mas Usain Bolt, recordista mundial dos 100 metros rasos no Atletismo, não tem uma boa técnica. Imagina se a técnica fosse mais adequada do ponto de vista da Biomecânica... Se você já teve lesão, ou está lesionado, é um bom motivo para acreditar que você tem uma técnica inadequada.

 

Centro de Gravidade, Coordenação Multiarticular, Ciclo de alongamento-encurtamento, Cadência, Oscilação vertical/horizontal, Desequilíbrio Muscular, Coordenação bilateral, Encurtamento Muscular, Alinhamento Corporal... E por aí vai! São apenas alguns “detalhes” que fazem TODA a diferença durante a sua prática esportiva. Se você acredita que não precisa de nada disto, não deixa de estar certo. Seja feliz praticando seu esporte, natação, ciclismo, corrida ou tudo isto junto nesta ordem, o triatlo. Só não reclama de gastar rios de dinheiro com anti-inflamatórios, bolsas de gelo, pomadas para cavalo (mais comum do que imaginam), e sessões eternas de fisioterapia...

 

Obs.: Fisioterapia é essencial e deve estar na programação de um treinamento esportivo de qualidade.

 

Aprenda a técnica adequada e minimize os riscos de lesão. Afinal, pior do que gastar dinheiro para se recuperar de uma lesão, é perder todo aquele preparo e ter que ficar “de molho” por algum tempo. Afinal, a decisão é sempre sua!

 

Nos próximos posts vou comentar um pouco mais sobre cada modalidade esportiva. Enquanto isto, tire suas dúvidas e aprimore sua técnica!

 

por

 

Coach Patrik Nazario

Doutor em Educação Física

Professor da Universidade Estadual de Maringá

Experiência nas áreas de Comportamento Motor, Biomecânica e Treinamento Esportivo de Endurance

Entusiasta dos Esportes de Endurance – Natação, Ciclismo, Corrida e Triatlo.