Flexibilidade não se ganha... Se perde!

Espelho, espelho meu... Cadê a flexibilidade que mamãe me deu?!

Você sabia que flexibilidade não se ganha? Isso mesmo. Quando você era pequeno, até conseguia colocar o dedão do pé na boca com facilidade (alguns ainda conseguem). Mas, com o passar dos anos, mal conseguimos tocar no dedão do pé com as mãos quando estamos de pé, sem flexionar os joelhos. Muitos amadores ignoram os treinos de flexibilidade. Alguns por não saberem da importância, outros por não terem orientação, ou, por preguiça mesmo! Flexibilidade é uma capacidade física que deve ser treinada, igual o famoso tripé Força-Velocidade-Resistência. Quanto menor sua flexibilidade, pior sua habilidade motora, e, por consequência, sua Performance Motora. Imagina que você não tenha boa flexibilidade de ombro, é aquele famoso “bracinho de jacaré” na natação. Enquanto você precisa dar 8 braçadas para percorrer 5 metros, um atleta com boa flexibilidade de ombro faz o mesmo percurso com 4 braçadas, por exemplo. Parece vantajoso, não? Se você não tem boa flexibilidade dos músculos posteriores da coxa, você provavelmente corre “sentado”, ou como eu brinco com nossos atletas, corre com a “fralda cheia”, “arriado”. Isto implica em um menor comprimento de passada. Ou seja, aqueles que tem baixa flexibilidade geralmente percorrem uma distância menor por passada em relação aquele com boa flexibilidade. Agora imagina você em cima de uma bicicleta, com pouca flexibilidade no tronco. Vai chegar uma hora que sua lombar vai estar “queimando” e mal vai conseguir olhar para frente ou se manter na posição mais aero. Me parece ruim!

 

Se você ficar 2 semanas sem treinar por causa de uma lesão, percebe que sua resistência diminui e você não consegue manter o mesmo ritmo na mesma distância? Isso porque a resistência diminui se você não treinar, já que é uma capacidade física treinável. Assim como a flexibilidade!!! Se não treinar, ela diminui. O problema é que depois que nascemos, nossa flexibilidade só tende a piorar. Com o treino nós conseguimos recuperar um pouco e diminuir a perda natural de flexibilidade. Se Atleta é quem treina, e treinar significa condicionar todas as capacidades físicas... Treinar flexibilidade deve fazer parte de um bom programa de treinamento esportivo. 

 

Se para quem está treinando já está difícil, imagina para você que acha que só tiros e rodagens resolvem sua Performance Motora. Treine sua flexibilidade pelo menos 2 vezes por semana, em horários diferentes dos treinos principais do dia. E não é aquele alongamento "mixuruca" que você faz não, é treino de flexibilidade mesmo!!! 

 

partiu flexibilidade performancemotora

 

Dúvidas? Entre em contato conosco e será um prazer te ajudar!

Bons treinos!


Coach Patrik Nazario

Doutor em Educação Física

Professor da Universidade Estadual de Maringá / PR

Experiência em Treinamento Esportivo de Endurance, Biomecânica e Psicologia do Esporte

Entusiasta dos Esportes de Endurance